Afeganistão


Mais conhecido atualmente pelos horrores de sucessivas guerras e revoluções que praticamente destruíram sua infra-estrutura, o Afeganistão é dono de uma longa e rica história, que segundo os paleontólogos remonta de mais de 50.000 anos de ocupação humana.

Sem saída para o mar, o Afeganistão é uma espécie de encruzilhada no oriente médio, e ao longo dos séculos abrigou diferentes reinos, crenças e rotas comerciais.

Hoje pouca gente sabe, mas o país já foi um dos pontos máximos de peregrinação dos “paz e amor” hippies que aqui vinham em busca de inspiração e meditação.

O turismo anda em baixa, mas no passado o país foi muitíssimo requisitado por suas paisagens surpreendentes, que incluem cadeias montanhosas, lagos e remanescentes de culturas ancestrais.
NOTÍCIAS :
Pela primeira vez, o número de militares briânicos mortos no Afeganistão ultrapassou o número dos que morreram no Iraque.

Só nas últimas 24 horas houve mais oito baixas, elevando o número de soldados da Grã-bretanha mortos no conflito afegão para 184.

O líder do maior partido da oposição, o consevador David Cameron, exigiu ao governo trabalhista uma explicação sobre a estratégia militar que está a ser seguida no Afeganistão.

Quando as primeiras tropas britânicas foram, há três anos, deslocadas para o Sul do país, a zona de influência talibã, o governo manifestou a esperança de que a missão viesse a ser cumprida sem necessidade de ser disparado um único tiro.

Ainda assim, o responsável pela defesa continua a acreditar que é possível vencer esta guerra.
Apesar do reforço do contingente da NATO, no Afeganistão, o general Loureiro dos Santos considera que a situação é, neste momento, muito difícil para as tropas da Aliança Atlântica.
Recorde-se que esta quinta-feira, foi aprovado o envio para o Afeganistão, no próximo ano, de mais 150 militares portugueses.
-E este ano quem vai?

Sem comentários: