Chapéus há muitos! Mas como o meu não há nenhum!


Kabul, 9h:30, quinta-feira, 24 de Dezembro de 2009 (escrito em situação sã do que fazia, depois de observar dias menos "felizes")

Sinto o espírito do natal dentro de mim, ando feliz com o meu tempo, lá fora o sol brilha e os IED’s não rebentam.

Chapéus vermelhos e brancos…
Ontem houve jantar de “família”, enchi o meu prato de sopa porque me apeteceu, falei de tudo e com todos… acho que sou um sortudo!

Chapéus verdes e pretos…
As noites tem sido calmas, consigo dormir como se nas nuvens tivesse! Ninguém bebe álcool fora das taxas e respeita-se o próximo, não há lutas nem confusões e a sintonia espalha-se por todo o contingente.

Chapéus azuis e amarelos…
As férias são para todos, na altura que querem e os dias que querem, isto é que se chama “agradar a malta”. Há igualdade e alimenta-se a camaradagem.
Estou impressionado, 1º missão no Afeganistão e os veteranos de guerra mostram o exemplo a seguir!

Chapéus grandes e outros pequenos…
Ser PORTUGUÊS é imperial neste teatro de guerra, não somos de um ramo, somos das Forças Armadas Portuguesas!

Não há vandalismos nem exemplos das “tropas de bairro”, com tantos chapéus diferentes e ainda não vi uma única discussão, é um profissionalismo digno de discursos generais.
As mulheres desta vida conseguem um respeito enorme, sérias no que fazem, exigentes no trabalho e as confianças ficam para quem as tem! Os homens respeitam-nas e nem se chateiam por causa delas, são fortes na sua convicção e fiéis ao que deixaram para trás.
Cada um sabe o seu papel, vieram com um cargo e está a ser cumprido, a mensagem passa e a avaria resolve-se na hora!
O jornalismo está bem informado, cada palavra é uma verdade e até temos gente que nos defenderia de algum “imprevisto erro”! Consegue-se ouvir e ver noticias que nos orgulham cada vez mais, sem falharem números simbólicos!
De Portugal vem as melhores noticias, não está a acontecer nada de mais, vive-se bons tempos e a saída da crise foi um alívio para os bolsos portugueses.
Aqui somos obrigados a ter que agradecer a imensa hospitalidade recebida, parece que estamos em casa! Até no trabalho, fazem questão que estejamos a descansar, ser de um grupo de “operações especiais” não é fácil, às vezes abrem-nos tanto os braços que ficamos sem saber reagir!
Penso: vai tudo correr bem e nada nos acontece! Difícil é para os tais de Janeiro…
Aqui sou e vou ser feliz! Tiro o meu chapéu em sinal de respeito!
Feliz Natal
Agora a sério, tudo o que escrevi daqui para cima é mentira, menos a 1º frase (data)! Chapéus há muitos e no meu tem escrito: profissional, é azul ferrete, 2 fitas pretas e tem o símbolo dos fuzileiros… para nos deitarem a baixo teremos de estar de pé, porque de joelhos não nos apanham vocês! Se a coisa ficar preta, cuidado, podem-se “aleijar”!
É um aviso a quem “comanda” e um exemplo para quem não sabe o que quer.



editado: domingo, 27 de dezembro de 2009(devido a faíscas)
O engraçado é que a falta de oxigénio apaga o fogo...

Sem comentários: