Pancadas na Liberdade e chutos no bom senso


Liberdade, muito tenho a falar sobre esta palavra, tudo o que engloba e tudo o que a rodeia!

Quando a dizem, lembramos logo o tal 25 de Abril, aquele da nossa libertação do fascismo! Aquele que tirou uns e pôs outros… se calhar já me estou a esticar no assunto e não é essa a minha intenção.
Venho, por este meio, rir da sociedade em que vivemos… dar umas ideias mostrando um pouco do que penso, não tudo o que penso porque a minha liberdade é limitada, assim como toda a liberdade é limitada mas há pessoas que não sabem disso e querem á força que um casal de gays e tóxico dependentes adoptem uma criança! Apenas porque há países que é possível, vamos lá nós “evoluir” neste dope show. Mas são esses mesmos indivíduos que destroem lojas e automóveis nas ruas de capitais, contra a globalização, esquecendo quem trabalha nesses estabelecimentos comercias e que vivem de reformas mínimas com filhos a cuidar!
“Volta Salazar, estás perdoado!” diz um amigo meu muito parecido comigo, mesmo muito parecido…
Enfim, venho falar dum caso particular, “a atitude do cidadão que deu com a réplica da catedral nas "fuças" do Berlusconi”.
Senhor Daniel A., senhores e senhoras, atenção… obrigado pela atenção!
Vamos todos comprar catedrais em miniatura do convento do Jerónimos, da ponte 25 de Abril, da torre de Belém, do estádio da Luz, do castelo ,do Cristo Rei e da put$ que vos pariu… e vamos mandar essas miniaturas uns aos outros!
Epah, uns aos outros? Então não era melhor mandar aos ministros? Ao Sócrates e seus discípulos?
NÃO, NÃO E NÃO!
Quem é que votou nesses senhores? Foi o povo, então é o povo que tem de levar com as miniaturas!
Será que vocês não entendem o que quero dizer?
Acham que é a destruir e bater que se resolvem as coisas? (o Zangão diz que sim, e até tem resolvido algumas)
Mas não é…
“A minha liberdade acaba quando se cruza com a tua!”
O conceito de liberdade só existe se houver bom senso, e nesta put$ de sociedade do cada um por si, não existe bom senso!
Enquanto houver gente a pensar assim, nada se vai resolver… e podem me mandar miniaturas do estádio da Luz que eu agradeço! Se me mandarem do estádio do Dragão talvez levem um tiro… estou a brincar (ou não).
Resumindo, as pessoas só ficam sensibilizadas para o assunto quando morre alguém de perto, “era tão bom rapazinho” (mas estava a protestar contra lei das reformas, incendiou um carro e levou um tiro de caçadeira do dono).
Temos pena! E agora, vai pró céu ou pró inferno? Para debaixo do chão vai de certeza, por causa do cheiro!

Como eu estou a fazer, há quem também o faça mas no sentido contrário ao meu, cheios de razão, falam, falam e não fazem nada! Outros, quando fazem é só merda!
É a “liberdade obrigada” por aqueles que chamam seu nome, reclamando por ela…

É só e apenas a minha opinião, se a tua é diferente, cala-te e deixa-me falar, respeita a minha liberdade! Ah ah ah

2 comentários:

Madalena disse...

liberdade - sermos fieis a nós próprios, com valores humanos e com a sábia frase de que 'a minha liberdade termina quando começa a do outro'. se esta frase servir de guia, ajudará em atitudes futuras.

beijinho**

krilin disse...

era bom q fosse assim tao facil,infelizmente vivemos numa sociedade de egoismos,e cada vez mais se vai notar isso infelizmente.....
boa escrita lavagante