Anda cá que eu não te faço mal...

Bom dia.
Desde cedo me lembro de pensar em coisas que não devia, problemas da vida e outras nem assim tanto!
Paragens no espaço para poder pensar no tempo, acontecia diversas vezes e ainda acontece.
Tem vezes que paro para me questionar o porquê de estar a pensar assim? É muita pergunta e com respostas de todos os géneros e feitios... dava para fazer um livro.

Agora e para alterar um pouco as coisas, a moda passou a ser ler o que outros pensam, estou a falar da minha moda e continuo a pensar o mesmo género de coisas, será que estou a complicar?

Não me julgo de mau modo, nem a ti se pensas como eu, é algo natural de quem usa o cérebro, como se fosse um motor de um veiculo, mesmo sem andar fica a trabalhar e a gastar combustível... eu sou igual...

Por vezes, antes de dormir ainda consigo fazer algo estranho, pensar que chamo por mim, fujo de uns pensamentos usando outros, é estranho, parece que me dizem "anda cá que eu não te faço mal", mas a verdade é que não tem feito muito bem...
Como eu costumo dizer, é a vida...

Tenho uma cruz na mão direita, feita por uma rainha e em memória de outra, não será esquecida a acção prometida, o problema é lembrar tarde demais! Será que me fiz entender?
Não? ok, vou ligar à minha mãe...

Estas coisas é que são os aspectos negativos, tanto penso que me esqueço de algumas coisas, muita cambalhota faz perder o norte e é para lá que vou outra vez, outra vez que até enjoa, de autocarro ou de comboio antes prefiro ir para Lisboa!
 Disto não me esqueço eu, acusado de duas faces, dou razão a quem me acusa, mostro tranquilidade no dia-a-dia e algum rigor pontual táctico quando tem de ser...

O "tem de ser" obriga a memória a relembrar do voluntário que fomos no dia de entrar para a escola, sabes bem que não falo do ensino primário, mas para não variar, também dali oiço "anda cá que eu não te faço mal"... é a vida!

1 comentário:

Isilda disse...

Imagem tão ternurenta!Até tive pena da mensagem.