A verdadeira história das vuvuzelas

Era uma vez um indígena africano chamado Pretu, que vivia apaixonado por uma menina de seu nome Feiona, viviam na África do Sul, numa região de selva e animais selvagens.
O Pretu passava os fins semana em viagem para ir ter com a Feiona que vivia a mais de 50 km numa outra aldeia tribal, afastado em distancia e em quantidade de perigos que vagueavam  dia e noite pelos caminhos da selva africana, era sempre uma aventura cada viagem.
Feiona era uma rapariga normal, doce e simpática, queria mandar sempre no namorado e obrigava-o a ir ter com ela, mas como não há uma sem três, ele ia ter com ela mas era mesmo só para a ver, porque aquilo que interessava a ele não acontecia! Ele era um jovem cheio de energia, forte e de grande poder sexual, sempre com  entusiasmo para a chegada do grande dia em que consumiria o acto. E ela, simplesmente gostava de ser virgem, sentia-se um diamante...
Com o passar do tempo, chegou a época de fome, seca e calor. Em mais um dia de viagem a pé, a correr que nem louco, o Pretu foi ver a sua amada. Durante esta viagem, Pretu sentiu-se vigiado, é aquele sétimo sentido dos animais... algo se passava, andou mais uns metros e ouviu o respirar forte de um leão.
Aqui parou, pensou rápido e logo começou a correr, como se ali pudesse perder a vida, claro que podia mesmo perder a vida, o leão estava mesmo com vontade de o comer!
Ao fim de 6 km o leão ainda se mantinha na corrida pela sobrevivência e Pretu começava a mostrar sinais de fadiga. É então que o seu corpo começa a revoltar-se contra ele próprio, o almoço fez a digestão rapidamente e  o Pretu estava como um balão, cheio de gás e com a saída bem apertada, claro, imagina-te com um leão a correr atrás de ti e depois diz-me como ficava o teu "rabo"!
Mais uns metros e o Pretu não aguentou, libertou um estrondoso barulho, algo tipo, brrruummmhhhh... não sei se foi do cheiro ou apenas do barulho, do susto provocado, a verdade é que o leão parou e Pretu conseguiu fugir com vida para poder mais uma vez olhar a sua amada Feiona.
Ao chegar à aldeia de Feiona, Pretu vinha muito cansado, quase sem conseguir respirar. Tentou chamar pela sua amada, mas devido à falta de dentes na sua boca e ao seu estado de falta de ar, quando tentava dizer a palavra donzela, a única coisa que saiu foi um barulho que parecia dizer "vuvuzela", foi um desatino, Feiona ao ouvir a voz do Pretu, veio à rua saber o porquê do seu namorado estar a chamar por outra rapariga! E saber o porquê do Pretu ter vindo mais cedo, ela nem teve tempo de se maquilhar! Pegou num pau e ainda lhe deu algumas dez vezes... foi triste...
Com isto, Pretu ficou com uma história para contar, espalhou-a aos amigos e aos meninos das aldeias, foi um espalhar de mensagem de como afugentar um leão, e para exemplificar tinha-se de usar um tubo em forma de cone e soprar forte, claro que ninguém tem o potencial do Pretu mas assim conseguiam mostrar algo parecido!
Depois da vuvuzela ter sido inventada, pouparam-se muitas vidas aos ataques dos leões, apesar de alguns estarem mesmo com fome e nunca desistirem até comerem o pessoal...
Depois da grande aventura, o Pretu tornou-se famoso e casou com uma senhora da sua aldeia, bem mais seguro, evitava grandes viagens a pé e neste caso havia o acto sexual diariamente, era uma senhora mais carnal que não queria perder o seu herói!
A Feiona, casou com o homem do leite, sentia-se feliz porque ele fazia tudo o que ela queria, o que ela não sabia era que ele dava leite a muitas meninas da aldeia!

Foi assim nesta linda história que vocês ficaram a saber de onde veio o nome e origem desse instrumento quase musical. Agora tentem fazer-me um favor, quando virem alguém tocar aquilo, batam na pessoa! A sério, dêem-lhe com um pau ou mandem-lhe com uma pedra, estou completamente farto daquele barulho... já não suporto ver jogos de futebol com abelhas dentro da cabeça, irrita mesmo c$r$lho....
(claro que esta história é mentira, mas procurem saber algo mais sobre os danos causados pelo barulho desta coisa e vejam o porquê da FIFA autorizar o seu uso!)

link da verdadeira história da vuvuzela, é só clicar: http://pt.wikipedia.org/wiki/Vuvuzela

Blind & luz do dia

Faro, 10 de Junho de 2010, no meio de mais uma concentração de descontos populares, barcos em terra e no mar, aviões no céu e gente a desfilar...
Ultimamente parece que ando cego com o que atravessa na passadeira, mas são estes momentos que me fazem pensar no que se passa em meu redor.
Longe da minha civilização e do meu mar, a concentrar na condução a fazer...
De segunda a quinta-feira não me faltou tempo para pensar, foi bom e mau, mas já foi...
O que pensei nesses dias vou relatar aqui, como se necessitasse disso!

"-Outra vez, mais uma e eu aqui estou. Será que o Popas ainda se lembra de mim? Será que os amigos dele ainda me querem dar palmadinhas nas costas? pff...
Ao menos aqui não cai neve nem faz pó, sem tiros e sem explosões... (repeti isto centenas de vezes, é o lado positivo da coisa!)
Tanta cara nova à minha volta, alguns novos e outros velhos com quem nunca me socializei, são fases!
E eu continuo a ser o mesmo, pelo menos acho que sim, também com este feitio e com estes princípios como poderia eu mudar assim tanto? Impossível...
Quando me torno repetitivo nos pensamentos é porque algo atormenta-me de alguma forma e isto deve ser algo desse género.
Continuando o raciocínio maléfico, espera espera, maléfico? Troca de cara e faz reset, quase que me deixava ir com o vento frio. Se muita gente tivesse este botão, de certeza que o mundo era bem melhor!"

E pronto, basicamente dá para perceber a ideia, claro que há pormenores que são intimidade de cada um, não se contam aqui nem em locais públicos,  há credibilidade a manter... lol

Facilmente deixamos de ser cegos quando deixamos entrar a luz do dia nas nossas vidas e até com nuvens negras a luz chega até nós.
...
Se alguém quiser saber episódios "engraçados" destes dias, contacte a administração.

Foto: Praia da Assenta