"JURO", mãe

"Juro, como português e como militar, guardar e fazer guardar a Constituição e as leis da República, servir as Forças Armadas e cumprir os deveres militares. Juro defender a minha Pátria e estar sempre pronto a lutar pela sua liberdade e independência, mesmo com o sacrifício da própria vida."

Será que a parte de "fazer guardar a Constituição e as leis da República" também estava no juramento de alguns políticos? Ou fizeram «figas»?

Agora imaginem, se alguns que ditaram esta frase pela boca e coração, decidirem levar a coisa à letra...
Não sei se não queremos ver, ou se não conseguimos ver, a realidade e o tempo a escassear... 

Ainda hoje deixei um comentário num outro blog que fala muitas vezes do estado da Nação e se comenta várias vezes tópicos actuais, mas que reparei serem comentados em maior parte por Senhores Veteranos.
Disse :
 "infelizmente eu tenho a dizer isto: é tudo só conversa... ha muitos interesses hoje em dia a dar bons rendimentos a quem alinha neste sistema e o alimenta, nunca dando possibilidade a revoltas... desculpem-me senhores, a minha revolta está limitada ao ponto do que chegou o estado em que vivemos! tudo o que diga ou faça, não passará de pensamento... se mexer um dedo ainda serei acusado de jovem delinquente, se não mexo sou acusado de ser mole.... ou seja, antes é que era mas fostes vós que deixaste chegar a este estado! peço a vossa compreensão, sou jovem e tenho o sangue a ferver de tanta injustiça que vejo!"

Tenho vontade de dizer à minha mãe: 
"-Ai como gostaria de ter sido teu pai."

Sem comentários: