Pessoas, um momento no comboio

Ouvi esta história num programa de televisão... um mágico...
Não recordo as palavras, mas a intenção dele entrou na minha cabeça, porque é algo com que me identifique.

Era uma vez...
Um senhor de certa idade, barba grande sinonimo de vida longa, homem honesto e de vida difícil, trabalhador e merecedor do seu descanso  que vinha de comboio numa carruagem vazia.
Depois de uma jornada de trabalho difícil  a única coisa que ele queria era aproveitar a viagem para poder descansar e ali estava ele, calmamente a ler o seu jornal.
Numa paragem entrou outro senhor com dois rapazinhos, ele de ar não muito preocupado com a sua aparência e eles com uma energia inesgotável. Sentaram-se mais atrás mas logo as crianças se lançaram ao chão, a brincar, com gritos enérgicos e ali rolavam como piões!
A certa altura, já com falta de concentração, o idoso baixa o jornal e repara no aparente pai daquelas crianças que sem demonstrar muita atenção, ignora toda aquela algazarra!
Decide dirigir-se a ele e diz:
-O senhor desculpe, mas já reparou na gritaria que as suas crianças estão a fazer, você não lhes tem nada a dizer?
E responde o pai:
-O que se pode dizer a duas crianças que acabaram de perder a mãe?

Sem comentários: