ISN o (re)começo

Novamente agradeço a mim, trabalhei e recebi a recompensa, a partir de agora terei ainda mais responsabilidades.
Já era algo que tive e agora voltei a fazê-lo.
O importante é que sejam dados os parabéns no fim... se tudo o que for feito tiver valido a pena... vivendo para que outros vivam.
E (re) começou...

Adversidades necessárias

Que lindo dia este, pena o sol estar escondido entre as nuvens do que se espera ser o verão mais frio dos últimos 200 anos... será?!
É na base do passado que venho deixar as minhas lamentações e na base do presente deixar um conselho para que o futuro não seja aquilo a que todos estamos (mal) habituados.
Principalmente esta semana, usada como exemplo por palavras que ouvi. Recebidas por mim em forma homossexual (da parte de lá), usando a minha própria vaselina, fui adoptando a melhor postura possível e com dois ouvidos rotos ali sofri. Não foi fácil porque ficam sempre alguma mazelas que agitam sentimentos e perturbam  horas de sono.
Mas o que interessa é o objectivo concluído, não aquele que pareceu ser mas sim aquele que eu defini. Sempre ciente de que serei eu a pessoa responsável a assumir responsabilidades, dono das palavras e dono do resultado delas.
O conselho é simples, se não gostas do que está no prato, não o comas... mas também não precisas de mandar fora, aprende é que a decisão depois de feita, estará feita... mas não insistas em tentar comer só para agradar alguém!
Os resultados esses serão visíveis a curto ou longo prazo! Mas garanto, a cabeça limpa é sempre melhor do que viver sujo de compactuar com sistemas!
Bem hajam os autênticos.

Desabafo de Rita Mendes ( inspira pessoas )

Meus amores, até agora não tenho "misturado" muito as coisas...

Sim, sou um "canivete suiço", com muitas aptidões, muitos interesses, diversas profisssões. Tudo em prol de uma vida financeira estável e também das realizações que vão colocando sorrisos na minha cara. Sim, porque trabalhar sem gosto , faz-nos definhar aos poucos.

Quem me conhece sabe que sou dj, apresenadora, cronista, blogger, relações públicas... Já trabalhei como atiz e escrevi uma peça de teatro, já vendi porta a porta, já criei empresas, já fui patroa e já fui empregada...agora.. até vou cantar.
Mas não fico por aqui...

Uma vida adulta que em 15 anos de vida profissional parece que foram 40!!
A luta, o percurso, as alegrias e também as desilusões..

Descobri há uns 2 meses um novo modelo de negócio, em que vi uma oportunidade para ser uma plataforma para me ajudar a dar asas a todos os meus projetos e desejos em "stand by"...

Decidi " testá-lo", conhecer as pessoas envolvidas, perceber se tinha ou não perfil ( normalmente a primeira reação é dizer que não..), ver se "virava milionária" em 2meses... Se virei? Não, não virei.. mas tenho ganho amigos, uma conta simpática que cresce, com ao ritmo que vou dedicando mais tempo ao negócio e à compreensão do mesmo e um gosto crescente pelo que é chamado de "Community Comerce".

Numa altura de crise, então!! Não imaginam o sentido que este modelo de empreendadorismo faz!

Bem, chego ao ponto de vos dizer, que este negócio se desenvolve ( e se ganha dinheiro com isso claro) desenvolvendo equipa, angariando quem comigo/conosco queira apostar num novo rumo. Sim, porque é disso que se trata. E sem se gastar em ordenados, alugueres, trespasses, impostos tremendos e afins.. Sim, porque a ideia é encontrar um desafogamento monetário numa estrutura de trabalho em que somos nós os nossos patrões.

Escrevi este post, para contar a quem me tem perguntado que o negócio de que falo se chama MONAVIE (...)e que se já ouviram falar.. ouçam de novo. Acreditem que há quem não saiba transmitir o que é da forma mais correta. Se não ouviram.. pensem em dar uma oportunidade nova à vossa vida. E façam-no comigo!

Eu quero, preciso, estou a adorar criar uma equipa coesa e interessada ( sim, tem que se trabalhar,as coisas não acontecem por milagre, mas sim por esforço e dedicação), por isso, amigos pessoais, amigos do Facebook e conhecidos que por cá passam... não me vejam como figura pública ( sim.. também ajuda no negócio, claro, não vou fazer demagogia.. mas acreditem que é só como cartão de visita, depois o esforço ainda tem que ser extra...), mas sim, como alguém que está a encontrar na liderança de uma equipa comercial e multitasking uma realização e entusiasmo muito giro! E sim, gostava de poder contar com quem está com ganas de mudar de vida|
(...)

Como mudar a vossa vida..
Quando começaremos a fazê-lo...
E a pergunta essencial que será o vosso foco ( eu sei bem qual é o meu)...: Porquê o querem fazer e com que vontade?...

Espero ter "chegado" a vocês - aos que fizeram click com a "coisa" - e se tal aconteceu, não hesitem em dizer-me . Apresentar-vos-ei o negócio e esperarei que se entusiasmem como eu.

Beijioca. Até logo.

Agora... vou trabalhar nas minhas músicas, e depois buscar os meus filhotes à escolinha! Sim.. para mim os dias tinham mesmo que ter 48 horas!!!
Mas não tendo... agradeço à Vida, na mesma, ter-me oferecido uma energia muito positiva, lutadora e ... que se recusa a baixar os braços.
Quem se junta a mim?

Retro

Estava eu a falar com letras, batimentos de plástico, mais um e menos um quando dou por mim a olhar para mim.
Num espelho de plástico, de letras faladas oportunas do momento, assim como cada vez que as fiz.
Sou mais um servo do destino e mais um dono desta escolha.
Assim me surpreendo com quem sou.

o bicho

Nascemos do amor, de um sonho criado em busca da felicidade eterna. Pais, avós, a família toda enche o peito de alegria ao ver a coisa mais linda.
Crescemos, melhor ou pior, mas lá se vai criando uma personalidade.
São os primeiros dentes, os primeiros passos, as primeiras palavras e o mundo roda à nossa volta num complexo de sentimentos ingénuos e inocentes. Que vida tão linda, sem pensamentos negativos que só os machucados sabem ter. Não existem preocupações, a descoberta é o vicio que se cria, que bate mais depressa os nossos corações, que fazem perceber o que é a dor, a saudade e o cansaço... que bom!
Crescer, sonhar, sonhar, sonhar, crescer e sonhar... realizar sonhos, alguns, mesmo que poucos e continuamos a querer realizar mais, sonhar, crescer e sonhar...
E esta história seria linda se todos nós tivéssemos essa oportunidade de a continuar... porque muitos, encontram o bicho cancro e acaba ali.
:(
Voltaste a levar-me alguém...
:(
Adeus primo Miguel, serás sempre uma referência do que é ser um homem, obrigado por tudo o que me ensinaste.


Aqui estão algumas palavras que gostava de lhe ter dito, mas acho que não precisava, ele sabia... mas eu sinto necessidade de as deixar ao mundo, conforta-me e chorar também me conforta... o que não me conforta é que mais uma vez sinto que estou onde não tenho de estar... :(

Trabalho comunitário, palhaços

Hoje em dia vivemos um circo constante e eu como palhaço que me sinto tenho também os meus dias de mau humor.
O trabalho comunitário, uma injecção pessoal que muitos usam para se sentirem boa gente é usado pela boca do povo de forma teatral.
Mas o povo gosta, porque sabe e fecha os olhos à realidade e assim continuando a gabar por algo folclórico.
E eu, se há coisa que detesto é coisas do género, ainda mais quando são filhos da mesma casa!
Claro que sei, há aldrabões em todo o lado, nalguns mais que outros, mas há coisas que tem limite.
E eu dou por mim a ver umas coisas lindas feitas pelas mãos de uns senhores muito habilidosos, restaurações de qualidade que até profissionais do ramo dão o devido valor!
E agora pergunto eu, então não havia dinheiro?
Então e esses homens não fazem falta noutros sítios para aliviar divisões?
Então e ... sabem que mais? Quando estamos no circo, durante o espectáculo, apenas temos de sorrir! E no fim, batem-se as palmas e o publico sai. E ninguém sabe o resto, porque o que interessa é o que se passa no espectáculo!
E eu vejo os velhotes, felizes da vida com aquilo que em nada lhes beneficiou mas como parece bonito já lhes agita o coração!
Tristes corações!
Tristes palhaços!
Gostava de lhes contar a verdade, mas o que seria desses corações nesta recta final de vida? Será que os destroçava ou daria voz à força do fazer bem e algo de bom poderia acontecer?
O resultado não sei porque não o farei! Apenas quem o sabe pode abanar a cabeça!

Fugi um pouco do tema porque o tornei pessoal, mas é compreensível digo eu...
E assim se vai vendo a comunidade a fazer trabalho comunitário e obras de caridade, enquanto se mete o dinheiro, propositado para essas situações, em chorudas contas...
Ai povo, povo, sóis tão triste dessa forma humilde que te orgulhas de revolucionar com flores e deixar que te comam as pétalas.
Trabalho comunitário é o que anda o povo a fazer para pagar algo que nem sabem o quê!

Mar Português - Fernando Pessoa (para mães)

"Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!

Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.

Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu."

Eu:
No dia da mãe, esta é a minha forma de lembrar ao mundo o sentimento sentido por essas mães especiais que vêem os filhos partir sem as certezas que os voltarão a ver.
Mães de soldados, de marinheiros, de aventureiros e lutadores, mas homens de carne e osso como qualquer um que ouse enfrentar a morte e nela caia.
O mar, belo e fascinante, arma da natureza capaz de engolir os seus filhos, mas tudo isso é o que o torna tão especial.
Uma homenagem a todas e especialmente à minha :)