Adversidades necessárias

Que lindo dia este, pena o sol estar escondido entre as nuvens do que se espera ser o verão mais frio dos últimos 200 anos... será?!
É na base do passado que venho deixar as minhas lamentações e na base do presente deixar um conselho para que o futuro não seja aquilo a que todos estamos (mal) habituados.
Principalmente esta semana, usada como exemplo por palavras que ouvi. Recebidas por mim em forma homossexual (da parte de lá), usando a minha própria vaselina, fui adoptando a melhor postura possível e com dois ouvidos rotos ali sofri. Não foi fácil porque ficam sempre alguma mazelas que agitam sentimentos e perturbam  horas de sono.
Mas o que interessa é o objectivo concluído, não aquele que pareceu ser mas sim aquele que eu defini. Sempre ciente de que serei eu a pessoa responsável a assumir responsabilidades, dono das palavras e dono do resultado delas.
O conselho é simples, se não gostas do que está no prato, não o comas... mas também não precisas de mandar fora, aprende é que a decisão depois de feita, estará feita... mas não insistas em tentar comer só para agradar alguém!
Os resultados esses serão visíveis a curto ou longo prazo! Mas garanto, a cabeça limpa é sempre melhor do que viver sujo de compactuar com sistemas!
Bem hajam os autênticos.

Sem comentários: