Trabalho comunitário, palhaços

Hoje em dia vivemos um circo constante e eu como palhaço que me sinto tenho também os meus dias de mau humor.
O trabalho comunitário, uma injecção pessoal que muitos usam para se sentirem boa gente é usado pela boca do povo de forma teatral.
Mas o povo gosta, porque sabe e fecha os olhos à realidade e assim continuando a gabar por algo folclórico.
E eu, se há coisa que detesto é coisas do género, ainda mais quando são filhos da mesma casa!
Claro que sei, há aldrabões em todo o lado, nalguns mais que outros, mas há coisas que tem limite.
E eu dou por mim a ver umas coisas lindas feitas pelas mãos de uns senhores muito habilidosos, restaurações de qualidade que até profissionais do ramo dão o devido valor!
E agora pergunto eu, então não havia dinheiro?
Então e esses homens não fazem falta noutros sítios para aliviar divisões?
Então e ... sabem que mais? Quando estamos no circo, durante o espectáculo, apenas temos de sorrir! E no fim, batem-se as palmas e o publico sai. E ninguém sabe o resto, porque o que interessa é o que se passa no espectáculo!
E eu vejo os velhotes, felizes da vida com aquilo que em nada lhes beneficiou mas como parece bonito já lhes agita o coração!
Tristes corações!
Tristes palhaços!
Gostava de lhes contar a verdade, mas o que seria desses corações nesta recta final de vida? Será que os destroçava ou daria voz à força do fazer bem e algo de bom poderia acontecer?
O resultado não sei porque não o farei! Apenas quem o sabe pode abanar a cabeça!

Fugi um pouco do tema porque o tornei pessoal, mas é compreensível digo eu...
E assim se vai vendo a comunidade a fazer trabalho comunitário e obras de caridade, enquanto se mete o dinheiro, propositado para essas situações, em chorudas contas...
Ai povo, povo, sóis tão triste dessa forma humilde que te orgulhas de revolucionar com flores e deixar que te comam as pétalas.
Trabalho comunitário é o que anda o povo a fazer para pagar algo que nem sabem o quê!

Sem comentários: